Fernanda Marques

 

fernanda band.yellow (1)Fernanda Marques

Desde sempre sonhava em conhecer outras culturas, outros países, outras linguás, outros horizontes… Não sei porque, mas alguma coisa bem la no fundo do meu coração me dizia que meu destino seria diferente! Sempre procurei escrever eu mesma meu destino, escolher eu mesma meu caminho. Quando perdi minha mãezinha aos 14 anos, me senti imensamente só! Sentimento que não iria nunca mais me deixar! Tive que amadurecer mais rápido do que minhas amigas de infância. Tive que ser responsável, independente, me cuidar! Meu pai, tão triste e inconsolável, não teve forças para nos guiar apos a morte de minha mãe.

Sempre adorei estudar, mas acima de tudo, e de meu amor pelos estudos, fiz tudo pra passar no vestibular e dar este presente ao meu pai. Entrei na faculdade, para seu orgulho, e comecei minha vidinha de adulta. Já naquela época, 1992, minha garra de batalhadora começou a nascer. Virei uma micro empresaria e lembro que meu pai teve que ir ao cartório para me emancipar pois ainda não tinha a maioridade necessária para abrir um negocio.

Estava na faculdade quando apareceu a oportunidade de sair do Pais. Não pensei duas vezes. Larguei meus estudos, vendi meu negocio, deixei meu namorado, meus irmãos, meu pai, meu país! Cheguei na Bélgica em 1994 com 1000 dólares e uma pequena mala. No começo dizia que iria ficar por aqui no máximo uns três anos…. No começo foi tudo muito difícil! Fui morar com uns amigos (eramos 5) em um pequeno apartamento perto da Gare du midi…uma época difícil mas maravilhosa! Ralava duro! Ia trabalhar bem cedo, pegava ônibus, trem… andava muito à pé! No frio, na chuva, na neve! Ganhava um dinheirinho sofrido. Trabalhava de faxineira, de baba.

Depois de 10 meses aqui, resolvi voltar para o Brasil pois a saudade era grande. Chegando la, alguma coisa me fez entender que não era lá meu lugar e graças à uma decepção amorosa, resolvi voltar! Mas desta vez resolvi trazer comigo meu irmão querido, aquele com quem era tão unida. Posso dizer que praticamente tomei a decisão por ele (acho que sou um pouco mais corajosa neste sentido). O coitado não teve muita escolha… meu pai também não! Saímos de lá em setembro de 1995 (se não me engano) e chegando aqui passamos por maus pedaços. Não tinha mais trabalho, nem dinheiro. Morávamos em um apartamento precário no qual não havia nem mesmo um chuveiro (nos lavávamos em uma varanda com um balde e um copo…). Teve dias em que não havíamos nem mesmo dinheiro pra comer… Meu irmão quis voltar depois de três meses aqui, mas eu cheguei à esconder seu passaporte para que ele não voltasse. Depois, as coisas foram melhorando, pouco à pouco encontramos trabalho e a vida tomou seu rumo novamente.

Encontrei uma pessoa ótima e me casei em 1996. Com o bendito “papel” minha vida melhorou. Resolvi então retomar meus estudos. Entrei em uma escola de arquitetura, e me lembro que na época mal falava o francês… Batalhei muito, estudava e trabalhava em barzinhos e restaurantes para ganhar um dinheirinho. Viajei mundo afora com meu ex-marido. Aproveitei para conhecer mais povos, mais culturas, mais linguás. Melhorei meu francês, aprendi italiano e inglês.

Por causa de um professor ditador, resolvi parar a arquitetura (arrependimento) e resolvi estudar tradução. Novo recomeço! Em 2001 me separei… resolvi ir para a Austrália e la passei os 3 meses mais felizes de minha vida! Sozinha, livre, solta! Com o mundo aos meus pés! Voltei cheia de energia! de coragem, de sonhos! Na época, minha vontade era ir para a Itália (meu Pais de adoção pois tenho a nacionalidade italiana). Foram tantos meus caminhos aqui na Bélgica…virei professora de francês, tradutora e até esteticista. Tantos estudos, tantos conhecimentos… Infelizmente, em 2002 cruzei o caminho de um homem que mudou minha vida para pior! Foram 8 anos de luta, de batalha emocional… evolui para uma vida mais confortável, porém mas vazia e triste. Fiz de tudo para construir uma família, unida, verdadeira e feliz. Ele conseguiu destruir tudo! Em 2009, descobri a verdadeira face do “monstro”. E a queda foi violenta! Perdi tudo: minha casa, minha vida, meus sonhos, minha dignidade, meu amor próprio. Descobri que havia vivido um sonho, ou melhor, um pesadelo! Dividia minha vida, meu homem, meu dinheiro, minha cama com outras tantas… que vergonha, que desespero… Fiquei sozinha, sem emprego, sem dinheiro, tendo que cuidar de meus dois filhos (a única coisa de positiva que saiu deste relacionamento)… Pensei que fosse morrer! Mas Deus me deu forças e descobri que aquela garra que eu tive quando deixei meu país ha anos atrás, estava escondida bem la no fundo da minha alma… ergui as mangas, tirei do meu caminho as coisas ruins, criei coragem e fui à luta!

Dei a volta por cima! Reconstruí minha vida, arrumei um bom emprego, eduquei e criei sozinha meus filhos, voltei à ser livre, independente! em 2010 encontrei um novo amor e juntos reconstruímos uma família…. e mesmo se a vida não é “rosa” todos os dias, procuro sempre me lembrar de que dias piores já passaram! Procuro não ter medo do amanha pois tenho a certeza que minha força me guiara mais adiante. Sei que sempre serei capaz de levantar, qualquer que seja a queda! Jodoigne 2/05/2012

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s